ESQUECEU SEUS DETALHES?

Perguntas Frequentes

GD Star Rating
loading...

Após 20 anos, essa não é a pergunta mais frequente, assim como já foi no passado, pois com advento da internet por parte de quem consulta, lembra ou sabe com facilidade que a origem é americana, e não vale mais tanto explicar que o nome da raça carrega nele seu local de origem (reconhecimento da raça e provável surgimento de gatos avantajados), estado americano do Maine, EUA. A pergunta serve na verdade para comentar o que pouca gente ainda sabe, que essa raça é tão popularmente conhecida nos continentes europeu e norte americano com grande variedade de cores e linhagens, mas superficialmente conhecida no Brasil como gatos gigantes (o nome Maine Coon ainda soa estranho e desconhecido) e pouco difundido, com baixa variedade e disponibilidade de exemplares no continente Sul Americano. A impressão é a de que a maioria apenas só ouviu falar em algum momento, mesmo após quase 20 anos de permanência em entre nós.

Apenas em ambientes de reprodução, onde o trabalho da fêmea é mais desgastante com partos e amamentações do que os machos, que também perdem, ainda que em menor proporção, peso e pêlos com estresse dos acasalamentos e cios periódicos, fatores de significativas variações durante o processo de desenvolvimento. Qdo castrados, ou seja, adaptados para finalidade de companhia doméstica, ambos sexos são idênticos, uma vez que tamanho é uma característica exclusiva da raça e não isolada do sexo. Além de serem eternas crianças quanto à docilidade e temperamento, castrados não apresentam contra indicações que transformam o instinto animal, tais como estresse e ansiedade decorrente dos cios que ocasionam em alterações comportamentais, demarcações territoriais e tentativas de fugas para acasalar com outros felinos na mesma condição a perímetros de seu local. Adaptados para o ambiente familiar, só acumulam peso e pelagem, estando isentos de oscilações em seu desenvolvimento, que independentemente do sexo, passa a ser constante, tornando-os ainda maiores, mais viçosos e exuberantes em comparação aos reprodutores, que hora estão mantendo proporções, hora estão em fase sazonal de perdas, vivendo estáveis nesse processo condicionado mais pelo tipo de ambiente em que vivem, que é regido pelo desgaste, tanto físico quanto psicológico do animal.

Próximo de seu amadurecimento completo, se comparam a um poodle médio no peso e comprimento. Altura relacionada ao comprimento das pernas e patas não muda, altura convencional de gato, mas sobre-pêlos de seu corpanzil somados aos sub-pêlos da barriga, quase que tocam mechas ao chão, quando desenvolvida uma pelagem exuberante. Curiosamente, o público adepto à escolher o gato Maine Coon, com sérios riscos de se apaixonar perdidamente por ele, não são nem tanto só gatófilos (amantes de gatos em geral), mas aquelas pessoas que amam cães. Estas por sua vez, no empenho de encontrar um companheiro ideal para seu cão, mas na impossibilidade de introduzir outro cachorro no ambiente, devido às limitações de espaço, regras de condomínio ou ausência periódica que exigem as manutenções, cuidados e adaptações, acabam sabendo sobre o Maine Coon, que chama atenção pelas características de um felino independente que se assemelha ao companheirismo do cão. Com “algo a mais” para um gato que, somado ao tamanho ideal, inteligência e sociabilidade, torna-se o amigo companheiro versátil e perfeito para o convívio, não apenas simultâneo com caninos, mas com outros felinos e crianças da casa.

Para assegurar o desenvolvimento e extrema docilidade sem contra indicações, criadores conscientes que praticam a posse responsável ao ofertar filhotes, entregam seus exemplares já castrados, isentando portanto seus compradores de preocupações e custos veterinários na pós-venda com adaptações. Estas pessoas, em sua maioria, só querem o filhote para estimação, e que ele se adapte sem complicação à rotina do dia a dia, desejando que cresça lindo e forte, sendo meigo e tranquilo na companhia de toda a familia. Pensando desta forma, é que o filhote castrado é vendido mais em conta, para estimular mais e novas aquisições, sendo possível realizar o sonho de ter um gato Maine Coon ao alcance da maioria, já que nesses ambientes nao há necessidade de ser vendido como um gato inteiro, ou seja, com opcional reprodutivo incluso. Os reprodutores são mais caros porque no valor deles está este opcional incluso, além dos direitos de reprodução da linhagem, independentemente dos objetivos particulares por parte de quem opta em adquirir, estando relacionado ou não à venda de filhotes.

Quem faz esta pergunta, certamente não viu o filhote nascer de um cruzamento puro entre dois gatos Maine Coon, ou se viu, tem dúvidas quanto a procedência dos pais. Um legítimo gato Maine Coon possui desde que nasce o Pedigree, documento que atesta legitimidade e pureza da raça. Quando um gato não possui esse simples documento, que para nós equivale a uma certidão de nascimento, não é possível comprovar a ninguém nem à gatofilia sua legitimidade, automaticamente passando a ser considerado mestiço para a raça, não possuindo qualquer valor comercial, apenas sentimental. Assim como filhotes resultantes de cruzamentos entre gatos autenticos X não autênticos. Mas respondendo à pergunta, nunca há dúvidas quanto às características e procedência quando é Maine Coon.

Se você tiver tempo e disposição, o melhor é retirar seu filhote direto de quem cria oficialmente e reproduz, sem custos adicionais com intermediários. No ramo, os petshops costumam arrematar mais em conta ninhadas inteiras de criadores sem reputação (estes normalmente não querem ter contato com quem for adquirir estes filhotes ou não querem se responsabilizar com suporte ou maiores garantias, daí a preferência por deixar o animal em lojas). Normalmente esse tipo de criador, chamado de criador de fundo de quintal já não consegue nesta mentalidade vender o que reproduz no particular aos interessados, então tenta “se livrar” com algum lucro repassando mais rápidamente a ninhada toda, mesmo que neste procedimento, o lucro seja menor. Comerciantes de animais de raça por sua vez, costumam tratar o filhote como mais um ítem a ser vendido, produto ocupando espaço na loja, ao invés de uma vida que está alí formando personalidade e que tem sentimentos no convívio e nas atitude das pessoas. “Dó” é o sentimento usado para fazer com que os clientes que frequentam a loja, retirem a qualquer custo o bichinho dali, daquela gaiola fria e apertada. Não permita que filhotes passem por essa dificil e desnecessária situação, financiando quem cria e vende gatos Maine Coon desta forma. Para adquirir com segurança um filhote autêntico e sem traumas, saúdavel e com maiores chances de docilidade, opte por comprar diretamente do criador oficial da raça, que possui registro em clubes felinos. Este normalmente registra suas ninhadas logo que nascem, assegurando entrega do documento de Pedigree, com contrato de compra e venda, suporte, garantias e principalmente, tirando suas dúvidas com conhecimento e informação, se demonstrando muito mais interessado no bem estar do seu novo gatinho na pós-venda. Obtendo informações e contatando pela internet, você pode diretamente com ele combinar as formas de pagamento e a retirada ou envio previamente agendadas do filhote para sua maior comodidade.

Vive o tempo médio do gato comum, pois não deixam de ser felinos. Quando bem tratados, alimentados com nutrição balanceada, obtida apenas na ração de primeira linha da sua marca preferida e adaptações que melhoram sua condição física e psiquica promovendo qualidade de vida, podem viver muitos anos em sua companhia. Seria pretensão afirmar quanto tempo tal vida viverá, mas a obtenção de exames regulares e acompanhamento especializado podem prolongar uma média estimada de 10 a 15 anos.

Problemas no coração em felinos pode ter origens diversas, que vão desde um problema congênito (má formação de nascença) até casos mais incidêntes envolvendo a raça. O HCM (Hipertrofia Cardiovascular) é comum em felinos em geral, independentemente da raça. É comprovado entretanto que, algumas raças são mais incidentes do que outras, devido ao trabalho de identificação e erradicação na criação organizada de gatos. Raças mais antigas tendem a ser mais incidentes porque os métodos de detecção nunca foram tão eficazes quanto hoje. Identificar um parentesco com genes propensos a desenvolver problemas cardíacos consistia em realizar inumeras sessões de eletrocardiograma, muitas vezes quando o gato já atingiu idade reprodutiva e gerou filhotes, sem qualquer garantia de isenção, mesmo quando atestado contra irregularidades nos resultados dos testes. Através do método de identificação por DNA, hoje em dia já é possivel identificar e isolar precocemente portadores do HCM. Entretanto, mesmo sendo escasso no Brasil tal método, regularmente pode ser identificado em pesquisa novos genes que contribuam para a anomalia, invalidando cedo ou tarde resultados apontados como negativo. O melhor remédio ainda é a prevenção: Levar o gato para checkups regulares ao veterinário evitará que desenvolva e até mesmo venha a óbito do coração, já que independentemente dos resultados, portadores ou não podem morrer de velhice, graças aos cuidados e recomendações obtidos em acompanhamento veterinário.

Embora sejam gatos da raça Maine Coon, diferenciados principalmente pelo tamanho, não deixam de ser gatos. Desta forma, não requer espaços especiais, podendo ser criado indoor, ou seja, dentro de casa. Um dado interessante é que, a maioria das pessoas que moram em apartamento, após terem ficado sabendo e conhecer, optam por ter o Maine Coon. Foi detectado que, na impossibilidade de ter um cão nestes ambientes, o Maine Coon é o bicho de estimação capaz de substituir essa ausência, podendo inclusive ser adestrado em pequenas atividades, assim como um cão. Das pessoas que adquirem, jamais houve casos de adaptação que não pudessem ser recomendados nestes ambientes. A única preocupação no caso, seria quanto à colocação de telinhas de segurança na sacada e janelas (sacrificando um pouco a estética visual em virtude da tranquilidade e da segurança), pois proprietários desinformados ou pouco orientados, tem perdido seus Maine Coons deste modo trágico: quedas.

TOPO